• Bianca Ceratti Zardo

Dores mamárias e Câncer de mama

Atualizado: Ago 11

A dor mamária ou Mastalgia é causa frequente de consulta ao mastologista e pode interferir na qualidade de vida da mulher.


Como qualquer sintoma mamário, traz angústia e ansiedade,

pois constantemente é confundida com câncer de mama pela

paciente. Ela atinge cerca de 70% das mulheres, sem restrição

de idade e, na imensa maioria dos casos, as dores não representam nada grave.

O câncer de mama está pouco associado à mastalgia (0,8 a 2% dos casos) e geralmente aparece como uma dor contínua, localizada em determinado ponto de uma das mamas. Pode ser dividida didaticamente em: - Cíclica (relacionada com o ciclo menstrual),

- Acíclica (sem interferência da fase menstrual) - Extramamária (que tem relação com a nevralgia intercostal, contratura muscular, artrite, fibromialgia, etc.). A avaliação clínica, com exame físico detalhado, geralmente é suficiente para a elucidação do quadro. Os exames de imagem mamários têm pouca validade e devem ficar restritos às pacientes com necessidade de

rastreamento ou com suspeita de lesões focais. Nos casos de suspeita de dor extramamária, exames específicos podem ser necessários para avaliar outros órgãos. O principal tratamento da dor mamária é a orientação verbal. A simples informação passada pelo médico sobre o caráter autolimitado do sintoma e também sobre a ausência de relação com o câncer de mama resolve o problema em 85% a 90% das mulheres.

Se você possui dor mamária a recomendação é de que você seja avaliada pelo seu mastologista.


Fonte: Sociedade Brasileira de Mastologia e Febrasgo.

Dra. Bianca Ceratti Zardo - Mastologia - CREMERS:32847

0 visualização
  • Facebook - Dra. Bianca Ceratti Zardo
  • Instagram Dra. Bianca Ceratti Zardo

©2020 Criado por Gustavo Leistner